Dr. Antonio Sproesser

Navegação: Notícias Intestino

Intestino

I - Intestino
O QUE É CONSTIPAÇÃO INTESTINAL?

A constipação Intestinal, mais popularmente chamada de prisão de ventre, é classificada, segundo os médicos, quando o paciente apresenta três dos seguintes sintomas:

  • Esforço em pelo menos 25% das evacuações.
  • Fezes endurecidas ou fragmentadas em pelo menos 25% das evacuações.
  • Sensação de evacuação incompleta em pelo menos 25% das evacuações.
  • Sensação de obstrução ou interrupção da evacuação em pelo menos 25% das evacuações.
  • Menos de 3 evacuações por semana

FUNCIONAMENTO NORMAL DO INTESTINO
Considera-se hábito intestinal normal de uma a três evacuações por dia, no mínimo três vezes por semana, sem dificuldade nem dor. O bolo fecal é bem formado e umidificado.

PRINCIPAIS MOTIVOS QUE LEVAM À CONSTIPAÇÃO INTESTINAL

A falta de água, o baixo consumo de alimentos ricos em fibras e a ausência de exercícios físicos são os principais motivos que levam a constipação intestinal. Um adulto deve ingerir entre 2 e 3 litros de líquidos por dia; entre 25 e 30 g de fibras; e fazer exercício aeróbico três vezes por semana. Problemas psicológicos e estresse também podem levar a constipação.

ROTINA PARA EVACUAR
A maioria das pessoas vai ao banheiro pela manhã e isso é normal. Como estamos de jejum à noite, os alimentos ingeridos pela manhã vão estimular o intestino a trabalhar, por isso não se deve pular o café da manhã, pois ele vai ajudar na evacuação. Outra dica para evitar a constipação é não adiar a ida ao banheiro, pois isso pode interferir nos movimentos peristálticos, movimentos involuntários que empurram o alimento e levar a prisão de ventre.

 

TEMPO DE DIGESTÃO DO BRASILEIRO
Um estudo realizado na Universidade de São Paulo, USP, pelo Médico José Márcio Neves Jorge, mostrou que o tempo de trânsito colônico (tempo da entrada e saída do alimento) dos brasileiros é de 37 horas. Logo, nós só vamos evacuar o alimento que comemos 1 dia e meio depois.

MULHERES SOFREM MAIS COM CONSTIPAÇÃO DO QUE OS HOMENS

A constipação intestinal é mais freqüente entre as mulheres e a razão para isso ainda não é conhecida. São cerca de 4 mulheres para cada homem.

ALIMENTOS QUE DEVEM SER INGERIDOS
Quem tem constipação deve ter uma dieta rica em fibras como: lentilha, maça, mamão papaia, arroz integral, entre outros. O Farelo de trigo é recomendado para se atingir a quantidade de fibras necessárias, (entre 25g e 30g). Ele é encontrado em supermercados e  em lojas de produtos naturais. São recomendadas três colheres de sopa de farelo de trigo para se atingir a necessidade de fibras diária.
Alimentos bons e ruins para o intestino:
Bons:

• IOGURTE: as bactérias probióticas (benéficas à saúde) presentes nos iogurtes atuam no equilíbrio da microflora intestinal e nas disfunções do trato intestinal, como diarréias e constipações. Além disso, essas bactérias melhoram o sistema imunológico e aumentam a absorção de cálcio pelo organismo.
• PÃO INTEGRAL: por conter grande quantidade de fibras, principalmetne celulose, tem um importante efeito na regulação do trânsito intestinal, absorvendo água e circulando pelo intestino, o que aumenta o volume de sais e facilita sua eliminação.

• MAMÃO, AMEIXA E PÊRA: frutas com uma excelente combinação de fibras para combater a prisão de ventre

• ÁGUA DE COCO: também contribui para o funcionamento do intestino, melhorando a absorção dos nutrientes dos alimentos ingeridos. Além disso, intestino saudável, com funcionamento em dia, implica menos inchaço abdominal, o que diminui a impressão de sobrepeso.

• LENTILHA: por ter pouca proteína, ele vai rapidamente para o intestino sem liberar muito ácido no estômago, e ainda é rica em fibras que ajudam no trânsito intestinal

Ruins:
FRITURAS: a gordura dificulta a digestão e pode provocar a sensação de estômago pesado.

• CARNES GORDUROSAS: a grande quantidade de proteína torna a digestão mais lenta. Se tiver gordura então...

• SAL EM EXCESSO: estudos apontam que pode provocar câncer de estômago, além de aumentar a atividade da bactéria Helicobacter pylori, que atua no intestino
• REFRIGERANTES:  não têm nenhum valor nutritivo (vitaminas ou minerais). Tem um conteúdo alto de açúcar, acidez e mais aditivos como conservantes e corantes

II - O intestino e o stress
Um dos quadros mais comumente associados aos transtornos de ansiedade diz respeito às alterações gastrointestinais – que podem incluir síndrome do intestino irritável, diarréia, prisão de ventre, dor abdominal, ulcera ou gastrite.
Em resposta a pressão emocional, o organismo aumenta a produção de sustâncias tóxica ao estômago e intestinos. Em 75% dos casos, a colite ulcerativa é psicosomática
O desequilíbrio na produção de noradrenalina e cortisol aumenta ou reduz, ainda, os movimentos intestinais agravando a síndrome do intestino irritável, gastrite ou úlcera.
Um estudo da Organização Mundial da Saúde realizada com 26 mil pessoas de diferentes países mostrou que os latinos costumam manifestar suas aflições emocionais sob a forma de sintomas gastrointestinais. Entre os brasileiros a pesquisa comprovou que 32% dos participantes afirmaram ter problemas gastrointestinais quando se encontram em uma situação de estresse

A relação entre problemas digestivos e estresse
Para entender a relação entre o estresse e os problemas nos órgãos do aparelho digestório é preciso saber que há uma ligação direta entre o cérebro e estes órgãos. O que um sente será sentido quase que automaticamente pelo outro, pois há um nervo que faz a ligação direta entre o hipotálomo, área do cérebro responsável pelas emoções, e o estômago e o intestino.
O intestino é considerado na medicina como um cérebro primitivo, ou um segundo cérebro. Ele tem um sistema nervoso próprio que produz e libera hormônios que até então se acreditava estar presentes apenas no cérebro como a serotonina. Segundo o gastroenterologista Flávio Steinwurz, “o intestino parece que tem vida própria do ponto de vista de enervação e sentimentos”, tamanha a complexidade deste órgão.

A SÍNDROME DO INTESTINO IRRITÁVEL
A Síndrome do Intestino irritável é um tipo de desordem funcional do intestino caracterizada por dor abdominal e alteração do hábito intestinal, para mais (diarréia) ou para menos, (constipação).
A hipersensibilidade visceral (em que o intestino torna-se muito sensível às alterações e reage de forma exagerada) e dismotilidade (perda da função motora fazendo com que o órgão fique “destrambelhado”) são os principais sintomas da SII. 
De acordo com Dr. Steinwurz, a Síndrome do Intestino Irritável é causada principalmente por problemas emocionais, mas também pode ser acionada por certos alimentos que vão desencadear a diarréia, excesso de gases, ou prisão de ventre.
Existe uma ligação direta entre o cérebro e o intestino que faz com que as emoções processadas pelo cérebro sejam sentidas diretamente no intestino e vice versa. O intestino é chamado de segundo cérebro, devido a esta ligação a certos neurônios presentes no órgão.

O diagnóstico da Síndrome do Intestino irritável é feito após afastar a possibilidade de outros problemas orgânicos que tem lesões detectáveis, como: inflamações, doença de crohn, tumores, entre outros.

Sinais e sintomas
Os sintomas da SII, de acordo com os médicos são variáveis, mas devem perdurar por pelo menos três dias no mês, nos últimos três meses, e tem que estar associados a dois ou mais sintomas relacionados à síndrome.
Ao contrário da definição de doença em que há uma lesão definida, a síndrome é um conjunto de sinais e sintomas sem uma lesão específica. Os principais sinais e sintomas da SII são:

  • Barriga sempre cheia
  • Abdômen dolorido
  • Dor e desconforto abdominal
  • Alívio ao evacuar e soltar gases
  • Estufamento
  • Cólicas
  • Flatulências
  • Diarréia
  • Prisão de ventre
  • Alteração nos hábitos intestinais à maioria das vezes para mais, causando diarréia, algumas vezes para menos, levando a prisão de ventre e algumas vezes alternância.

A dor geralmente é do tipo cólica intermitente e mais localizada na porção inferior do abdômen.
A Síndrome costuma melhorar com a evacuação e piorar com estresse ou nas primeiras horas após as refeições. 

As fezes, na maioria dos pacientes, são diarréicas (amolecidas ou aquosas) podendo conter muco. Outros pacientes queixam-se de constipação (evacuam menos do que seu habitual ou menos de uma vez por semana).

TRATAMENTO
Não existe cura para esta síndrome, mas existe tratamento para os momentos de crise. Os remédios são para segurar o intestino, nos casos de diarréia, aliviar os sintomas dolorosos, diminuir os espasmos e as contrações intestinais, diminuir a ansiedade, aliviar os gases.
A restrição alimentar também pode ser adotada num período de crise. A Psicoterapia, meditação e acupuntura e a ingestão de drogas prebióticas (que recompõem a flora intestinal) podem ajudar a aliviar os sintomas nos períodos de crise.

ALIMENTOS QUE DEVEM SER EVITADOS PARA QUEM TEM SII
Cafeína, pois aumenta a motilidade, e alimentos e bebidas que promovam gases como: feijão, lentilha, repolho, brócolis, couve, refrigerante, cerveja, vinho e champagne. Carnes vermelhas e frituras também devem ser evitadas principalmente durante a crise.

PREVENÇÃO:
Falar em prevenção da Síndrome do Intestino Irritável não é fácil, pois não se sabe ainda a causa ao certo do problema. Porém como ela está associada ao estresse a mudança de hábitos pode ajudar. A prática de atividades como yoga, meditação ou alguma atividade que dê prazer e diminua o estresse podem ajudar a prevenir as crises

DADOS:

  • Estima-se que 40% da população mundial tenha em algum momento de sua vida um quadro da síndrome do intestino irritável. Esta é uma das doenças mais prevalentes no mundo.
  • Na síndrome do intestino irritável, cerca de 70% dos casos tem tendência à diarréia, 20% a constipação (prisão de ventre) e 10% ou alternância entre prisão de ventre e diarréia
  • A Síndrome do Intestino irritável acomete muito mais mulheres do que homens, são cerca de 4 mulheres para cada homem.
  • Ela é mais comum entre adolescentes e mulheres jovens.


III - Dúvidas comuns:

1.  Uma pessoa que sofre de prisão de ventre em situação de estresse deve se alimentar como?

Esta pessoa deve consumir mais água do que o habitual, pois se estiver desidratada o corpo por um mecanismo de defesa reabsorve água das fezes para se manter hidratado e isso prejudica a evacuação por ressecar as fezes e dificultar a sua passagem pelo intestino.
Também é importante consumir mais frutas, verduras e legumes, pois a fibra ajuda a manter a microflora bacteriana do intestino saudável além se sua característica de higroscopia (se ligar com a água) proporciona que estas fezes fiquem mais macias e volumosas facilitando o transito intestinal e promovendo melhora do peristaltismo (movimentação do intestino). O uso de iogurtes com lactobacilos também ajuda a manter a flora intestinal saudável.
Além do exercício físico que ajuda a aliviar o estresse e ao funcionamento do intestino.

2. Quais alimentos devem ser consumidos e evitados  para quem apresenta problemas no intestino?


Má digestão
Evitar:  gorduras
Consumir:  suco de mamão e abacaxi que possuem enzimas digestivas, e suco de aloe vera para melhorar o ph do estômago.

Constipação, prisão de ventre
Consumir:  farinha ou óleo de linhaça, mamão (sem a semente), ameixa e iogurtes probióticos. É importante comer verduras, legumes, frutas e alimentos integrais, e principalmente  ter uma boa hidratação.
Evitar:  maçã e goiaba, que prendem o intestino, e também pães brancos e outros alimentos feitos de farinha refinada.

Diarréia
Consumir: alimentos de rápida digestão para garantir a absorção, ou seja batata, mandioca, mandioquinha, cará, inhame, arroz, quinoa, pães, clara de ovo, peixe, azeite, suco de frutas (coado) principalmente de melão, banana, goiaba, água de coco pois favorecem o equilíbrio eletrolitico uma vez que com o aumento da frequência de evacuação é possível haver grande perda de minerais como sódio e potássio.
Evitar:  leite, açúcar e doces concentrados e fibras insolúveis, principalmente as encontradas em verduras, legumes, casca e bagaço de frutas.

3. Quais alimentos são “amigos” do sistema digestório e que devem ser ingeridos com regularidade por todos?
Legumes, verduras e frutas, água, iogurtes probióticos, laticínios desnatados, água de coco, azeite, proteínas magras como ovo, peixe, texturizada de soja e quinoa.

4. Outras dicas
Evite frituras, massas folhadas, podres, milanesas e empanados, carnes gordas e embutidos, sucos, molhos e refeições prontas, doces concentrados, pães feitos de farinha branca e massas, creme de leite, leite e derivados integrais, todos os alimentos que tenham corantes, conservantes adoçantes (edulcorantes) e estabilizantes.
Coma mais alimentos naturais;
Tenha uma boa hidratação;
Faça atividade física;
Mantenha uma boa qualidade de sono.

IV - Hemorroidas
Dados:
50% das pessoas com mais de 50 anos são portadoras de hemorroidas.

O que é hemorroida:
É um problema de vascularização no reto, no canal anal ou no ânus.  Hemorroidas são vasos sangüíneos dilatados e salientes (semelhantes às varizes das pernas), é uma doença benigna.

Podem ser de dois tipos:
Hemorroidas internas se formam na transição entre o reto e ânus são assintomáticas, não causam dor
Hemorroidas externas se formam na pele do ânus, causam geralmente dor intensa e súbita, acompanhada de um tufo, conhecido como mamilo.

Causas:
- fatores genéticos e hereditários. A pessoa nasce com um enfraquecimento do sistema venoso e tem uma predisposição a desenvolver a doença.
- Constipação intestinal. A força ao evacuar aumenta a pressão na veia e progressivamente ela vai se dilatando.
- A diarréia também aumenta a pressão e pode desencadear a hemorroida.
- Gravidez. No primeiro trimestre da gravidez ocorre uma dilatação vascular da região pélvica que pode levar a hemorroida. Isso acontece durante a gestação e se agrava no final, pois o peso da criança pressiona as veias da região e aumenta e pressão.
-  Excesso de musculação, principalmente os exercícios de peso nas pernas
-  carregamento de peso
- ficar muito tempo sentado no vaso sanitário

Hemorroida interna:

Sinais e sintomas
o principal sinal é a presença de sangue vivo e limpo nas fezes que sai no final da evacuação, ele pode aparecer também no papel higiênico durante a limpeza.

Tratamento:
1) Uso de supositórios e pomadas que vão lubrificar a região e diminuir a ardência e o sangramento.

2) banho de assento com água morna ou sentar em uma bolsa de água quente, nos casos de exteriorização da hemorróida
3) cirurgia

Hemorroida externa
Sinais e sintomas

1) A hemorroida externa forma um mamilo externo ou um caroço e causa muita dor.
2) Só vai haver sangue se houver o rompimento de um dos caroços.
3) apresenta uma papada, chamado de plicoma que vai aparecer quando o mamilo regrediu.

Tratamento:
1) As hemorroidas externas devem ser operadas, pois na maioria dos casos o procedimento é eficaz e resolve o problema.  As técnicas cirúrgicas são efetivas. A dor do pós-operatório é grande, mas dura de 7 a 10 dias e depois resolve o problema.
2) O uso de antiflamatórios alivia os sintomas

Prevenção:
Para prevenir o aparecimento das hemorroidas deve-se investir em uma alimentação saudável, rica em fibras, e com muita ingestão de líquidos.

Mitos:
1)A ingestão de pimenta, alimentos condimentados e o álcool não causam hemorroida. Estas substâncias são vasodilatadoras e pioram os casos de pessoas que tem hemorroidas sintomáticas.

2) A hemorroida não se transforma em câncer de reto, porém ela pode retardar o diagnóstico do câncer, por causa da semelhança de alguns sintomas

Termos de uso

 

"As informações  encontradas  no site estão de acordo com padrões vigentes à época da publicação. Mas as constantes mudanças na medicina, resultantes das pesquisas clínicas, as diferentes opiniões entre especialistas,  e os aspectos peculiares de situações individuais, implicam na necessidade, por parte do leitor, de exercer seu melhor julgamento ao tomar decisões. Em particular, o interlocutor é instado (estimulado) a discutir a informação obtida neste site com um profissional da saúde, sendo que este site de informação não pode e nem deve substituir uma consulta médica."