Notícias

Notícias

Estudo conduzido na Universidade de Columbia, EUA, comprovou que a pílula de maconha (Dronabinol) proporciona maior alívio da dor por mais tempo.

 

Estima-se em 10% o número de brasileiros com sintomas de depressão. Entre eles, 28,1% tem  diagnóstico confirmado, porém apenas 15,6% faz tratamento medicamentoso. É o que aponta o estudo realizado pelo National Health and Wellness.

O Ministério da Saúde reduzirá de 21 para 18 anos a idade mínima para que uma pessoa possa ser submetida à procedimentos para readequação sexual pelo Sistema Único de Saúde (SUS), e de 18 para 16 a idade para início do tratamento hormonal e psicológico.

O estudo “Saúde, Bem-estar e Envelhecimento” realizado pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo indica que mulheres idosas apresentam maior dificuldade de mobilidade comparado aos homens.

Dados do 2º Levantamento Nacional de Álcool e Drogas aponta que aumentou em 20% o  número de pessoas que consomem bebidas alcoólicas uma vez ou mais por semana nos últimos 6 anos. Cerca de 50% da população brasileira faz uso de bebidas com álcool.

Estudo realizado na Universidade de Georgia Regents, EUA, apontam que mulheres que tiveram seus ovários removidos e foram induzidas a menopausa precoce correm duas vezes maior risco de sofrer perda cognitiva e demência. 

A Sociedade Brasileira de Urologia  (SBU) lançou no último dia 28 de março,  a campanha “Segura aí”. A ação informará a população medidas para atenuar e mesmo curar problemas de incontinência urinária.

O departamento de Psicobiologia da Universidade Federal de São Paulo está recrutando fumantes que desejam parar de fumar. Podem participar do estudo homens e mulheres com idade entre 20 e 60 anos que tenham cursado no mínimo a 5ª série do Ensino Fundamental.

Estudo realizado por pesquisadores da Universidade de São Paulo em parceria com a Faculdade de Medicina do ABC trazem dados preocupantes sobre a alimentação de crianças e adolescentes brasileiros.

Estudo da Universidade de Duke, EUA, constatou que as mulheres são mais “rabugentas” pela manhã se não dormiram o suficiente durante a noite.